Atualmente muito se fala sobre o QE, quociente emocional, ou também conhecida como inteligência emocional. Mas qual é a importância da Inteligência Emocional?

Recentemente e cada vez mais investigações vêm dar enfase à importância da Inteligência emocional nos vários níveis da vida das pessoas. Muitos investigadores afirmam que o QE pode ser igual ou mais importante que o QI.

Mas o que é a Inteligência Emocional?

O conceito de Inteligência emocional, remonta a Charles Darwin, criador da teoria da evolução, já nessa altura ele referiu a extrema importância das emoções para a sobrevivência e adaptação das espécies.

Posteriormente, num tempo que só se falava em QI, Gardner apresentou uma proposta, que pressupunha existir não apenas uma única inteligência, mas Múltiplas Inteligências.

Na década de 80 os investigadores Salovey e Mayer, descreveram pela primeira vez Inteligência emocional, num artigo científico, definindo-a como:

…a capacidade de perceber e exprimir a emoção, assimilá-la ao pensamento, compreender e raciocinar com ela, e saber regulá-la em si próprio e nos outros.

Descrevendo-a com base de 4 domínios:

  1. Perceção das emoções – habilidade envolvidas na      identificação de sentimentos por estímulos, como a linguagem verbal e não-verbal.
  2. Uso das emoções – capacidade de empregar as      informações emocionais para facilitar o pensamento e o raciocínio.
  3. Entender emoções – é a habilidade de captar      variações emocionais nem sempre evidentes;
  4. Controle (e transformação) da      emoção – aptidão      para lidar com os próprios sentimentos (aspeto nuclear da Inteligência      Emocional).

Contudo só em 1990 Daniel Goleman, publica um livro chamado: Inteligência Emocional. Captando o interesse da média sobre este tema, tornando-se um best-seller.

Goleman definiu inteligência emocional como:

…capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos.” (Goleman, 1998)

Segundo Goleman, a Inteligencia Emocional era a principal responsável pelo sucesso ou insucesso dos indivíduos. Goleman, propõe que a inteligência emocional assenta sobre cinco habilidades base:

Auto-conhecimento- capacidade de reconhecer as próprias emoções e sentimentos, relacionado com a auto-consciencia de si próprio.

Controle- capacidade de lidar, gerir os próprios sentimentos, adequando-os e ajustando-os a cada situação.

Motivação- Capacidade de mobilização das emoções em prol de um objetivo pessoal.

Reconhecimento de Emoções– capacidade de reconhecer emoções nas outras pessoas, relacionado com a empatia.

Relacionamentos interpessoais – capacidade de iteração com outras pessoas.

Como é possível verificar, as três primeiras, são relacionadas com habilidades intra-pessoais e as duas últimas interpessoais, ambas são essenciais, principalmente quando vivemos em sociedade.

Para muitos investigadores a Inteligência Emocional, é uma subclasse da Inteligência Social de Gardner.

E você, como é o seu QE?

Posts Relacionados: Glândula Pineal: Funções Paranormais? ; Efeito Placebo: Conheça este Incrível Efeito; Descodificando o Segredo: Lei da Atração ou Efeito Pigmaleão? ; Cérebro: Masculino Vs Feminino ; NeuroPsicologia: O Cérebro Humano ; Mensagens Subliminares; NeuroPsicologia: Linguagem ; 9 Inteligências de Gardner ; Afinal, o que é a Inteligência?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!