Através da mente é possível otimizar o corpo, bem como todos os seus processos explícitos e implícitos. Mas como isso é possível? E quais os limites?

A mente influencia o corpo, atualmente esta premissa é inquestionável, embora nem sempre foi assim. Tudo o que ocorre na mente tem relação direta ou indireta com o corpo. Neste ponto a psicologia da saúde e a psicologia do desporto convergem, contudo, enquanto a psicologia da saúde tem objetivo de promover a saúde e bem-estar, a psicologia do desporto tem como objetivo otimizar o desempenho dos atletas.

É óbvio que a psicologia tem um papel fundamental sobre o corpo e a sua biologia, já que a mente e o corpo são indissociáveis.

A ansiedade é um exemplo nítido do efeito psicológico no corpo. O estímulo por si só é neutro, não possui nenhum indicador ou atribuição positiva ou negativa, é a nossa mente que atribui a “parte” positiva ou negativa ao estímulo. Além de que basta uma visualização ou pensamento, mesmo sem a existência de um estímulo, para desencadear os processos físicos e biológicos característicos da ansiedade.

Para alguns autores surge a pergunta: Além de bem-estar é possível aumentar a resistência física e/ou a força muscular?

Um chimpanzé de 50 quilos têm 500% mais força que um ser humano com o mesmo peso. Será que as diferenças músculo-esqueléticas justificam 500% de diferença? Existem investigadores que afirmam que não, pois segundo estes investigadores o humano é mais forte e resistente do que acredita, possuindo uma força “oculta” de reserva que só é ativada em casos de extremo stress.

Existem alguns relatos bastante curiosos: No ano de 1982, nos EUA, Angela Carvalho levantou um automóvel de aproximadamente uma tonelada, para salvar o filho que estava debaixo desse automóvel. Em 2006, Tim Boyle ao ver um amigo ser atropelado, também levantou um automóvel sem duvidar. No mesmo ano Lydia Angyiou lutou com um urso ao ver que o animal ia direito ao seu filho.

O que distingue estas pessoas dos restantes seres humanos? Possivelmente nada! Segundo alguns investigadores todos nós teremos essas potencialidades, mas não temos controlo consciente sobre essa “força oculta”. É denominada “Força Histérica”. Essa força é como uma “reserva” só ativada inconscientemente quando o ser humano está em extremo stress.

O stress é uma reação do organismo mediante um suposto perigo, porém o juízo de perigo é subjetivo e psicológico. O que é stressante para uma pessoa pode não o ser para outra. Logo, se o stress é psicológico, é também possível de ser controlado. Por consequência essa “força oculta” também é possível de ser controlada.

Noutra área oposta à psicologia, mas neste caso complementando-a. Princípios da física quântica afirmam que basta acreditar completamente que algo é possível, sem duvidar um único instante para que o que acreditamos se tornar real.

E você, já alguma vez teve acesso a essa força?

Temas relacionados: A Importância da Psicologia ; Psicologia Clínica e a Relação Terapêutica ; Deus: Acreditar ou não Acreditar ; 9 Dimensões para Desenvolver a Criatividade; 12 Crenças Irracionais de Ellis ; Efeito Placebo: Conheça este Incrível Efeito; Descodificando o Segredo: Lei da Atração ou Efeito Pigmaleão? ; Psicosomáticas: Doenças e Sintomas ; Gravidez Psicológica: Desejo ou Medo?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!