A Palmada Pedagógica é atualmente um tema muito polémico entre pais, professores e psicólogos. Quais os prejuízos e benefícios na Educação?

Gradualmente os castigos “físicos” têm sido gradualmente abolidos da educação, até à atualidade que em muitos países inclusive Brasil e Portugal onde já são proibidos, argumentando que poderiam trazer graves prejuízos físicos e psicológicos para o futuro das crianças. Paralelamente, assistimos a crianças, cada vez mais agressivas, cada vez mais desafiadoras da autoridade, cada vez mais desrespeitadoras do outro. Questiono-me então se ambos os fatos estão correlacionados.

Dentro da psicologia a “Palmada Pedagógica” parece dividir opiniões. Pois uns psicólogos referem-na como algo benéfico enquanto outros como algo altamente prejudicial.

Mas quais os argumentos de ambos?

Para os que estão contra a “Palmada Pedagógica”, argumentam que é um ato violento, e educando com violência, estaremos a ensinar implicitamente às nossas crianças que os problemas se resolvem com violência. Além de que esse ato violento pode ter consequências físicas, mas principalmente psicológicas no futuro dessa criança. Muitas vezes, a “Palmada Pedagógica” não deriva diretamente do mau comportamento da criança, mas essencialmente das frustrações e/ou da incapacidade do adulto gerir a situação, tornando-se inevitavelmente injusto, desajustado e de cobardia.

Para os que estão a favor da “Palmada Pedagógica”, contra argumentam que é um ato educativo, que existem punições mais sérias que não são físicas, como a agressão psicológica, a humilhação, a chantagem emocional, que provocam consequências mais graves no futuro dessa criança. O sentimento de imunidade contribui para que hoje exista uma inversão de autoridade, as crianças mandam nos pais e nos professores. As punições são eficientes no momento a seguir ao mau comportamento, o que faz com que “a longa conversa” muitas vezes seja inexequível, uma simples ligeira palmada no momento bastaria e seria mais eficaz e eficiente, que uma longa conversa várias horas depois.

Quais os argumentos validos? Todos os argumentos, de ambas as partes, quer dos contra, quer dos a favor da “Palmada Pedagógica” são validos e verdadeiros. Então como podemos conciliar todos os argumentos? Na minha perspetiva difícil, mas possível.

Os educadores devem dar privilégio à comunicação, pois os limites podem/devem ser definidos com a ausência de castigos físicos. – Deve-se conversar com as crianças sobre as regras, o seu comportamento, o que deve/pode ou não fazer.

A “Palmada Pedagógica” deve ser utilizada em último recurso. – A “Palmada Pedagógica” deve ser utilizada apenas quando a comunicação não está a resultar.

Se utilizada, a “Palmada Pedagógica” deve ser no instante após o mau comportamento – A “Palmada Pedagógica” para ser eficaz deve estabelecer uma contingência direta entre o comportamento e a punição. Por isso, qualquer punição (física ou psicológica) muito tempo depois do mau comportamento, será pouco eficiente.

Se utilizada, a “Palmada Pedagógica”, as razões devem ser claras – Quando as regras ou limites não estão bem definidos, pode ser difícil e confuso para a criança distinguir entre portar-se mal e portar-se bem. A “Palmada Pedagógica” nestes casos não é vista pela criança, com o mesmo significado que o educador quer que ela veja. Só depois de definir claramente regras e limites, é que pode utilizar a palmada.

Se utilizada, a “Palmada Pedagógica”, deve ser justa – Além de criança e educador partilharem o significado, a criança deve-a ver como consequência do seu mau comportamento e não como a expressão do amor do educador.

Se utilizada, a “Palmada Pedagógica”, deve ser consciente – Muitos dos educadores servem-se das crianças como meio de catarse para as suas frustrações, preocupações e insucessos do dia-a-dia. Quando utilizada, os educadores devem ser conscientes das suas emoções e motivações.

Se utilizada, a “Palmada Pedagógica”, deve ser proporcional – Não se esqueça que é uma criança e não um adulto. Deve ser algo leve mas com muito significado.

A “Palmada Pedagógica” é uma punição física leve, mas com muito significado. Sou totalmente contra castigos físicos pesados (como agressões objetos, pontapés, murros, etc.) já que só por si perdem o significado. Palmada é Palmada. Lembre-se que Bater não é Educar e Não se Educa a Bater.

E você, o que acha da “Palmada Pedagógica”?

Posts Relacionados: A importância da Psicologia ; 6 Dicas para Educar com Limites ; Aprendizagem: 3 Regras para uma Estratégia Eficaz ; BIRRAS: 6 Conselhos Úteis ; Bullying: 5 Medidas Essenciais para a sua Prevenção e Controle; Psicologia Educacional ; 5 Princípios Funtamentais na Educação para a Resiliência ; 7 Dicas para Promover a Autoestima nas Crianças ; 11 Princípios para “fazer” do seu filho um Delinquente

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

 

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

1 Comentário

  1. Sabrina Amâncio diz:

    Muito interessante! Mas eu gostaria de saber se existe algum artigo cientifico que fale sobre isto, com argumentos favorecendo as palmadas. Conheceria algum para me indicar?

    Obrigada.