Toda e qualquer relação é um investimento, principalmente as relações amorosas. Por isso é necessário estar atento aos erros.

Em qualquer relacionamento, amoroso ou não, é um investimento, em que cada parte investe uma parte de si, esperando em última instância, que o relacionamento perdure o máximo de tempo possível, visando o bem-estar mútuo. Numa relação é fundamental que a pessoa se sinta bem consigo e com a outra pessoa, caso contrário, não fará sentido.

Tal como em todos os investimentos existem riscos e erros. Os riscos podemos minimiza-los e os erros podemos evita-los. Porém quais os mais frequentes?

1-Amar não é adivinhar – Gostar e principalmente amar, nada tem a ver com adivinhar. Por mais que se conheçam e tenham intimidade. Ninguém tem a “obrigação” de adivinhar o que a outra pessoa sente, pensa ou gosta. Porque não falar em vez de esperar que o outro adivinhe? Se falar para a outra pessoa o que gosta e o que sente, não se sentirá mais compreendida, existindo menos probabilidade da outra pessoa errar? O outro não tem poderes mágicos, deixe-se conhecer, fale de si dos seus gostos e interesses.

2-Exteriorise – Numa relação para se sentir bem consigo próprio(a) e com o outro é essencial falar, comunicar com o outro. Sobre o que sente, ou o que o outro lhe está a fazer sentir. Não se iniba falar quando alguém o(a) magoa. Pois pode ser que o outro nem sinta que lhe está a magoar. Seja honesto com o outro e consigo próprio, não guarde para si as mágoas, principalmente as que dizem respeito à outra pessoa.

3- Não existem pessoas iguais – É fundamental que perceba que não existem pessoas iguais. O que para uma pessoa é óbvio e básico, para a outra pessoa pode não ser. Pessoas têm educações diferentes, culturas diferentes, experiencias diferentes. Por isso é perfeitamente normal se não existir comunicação, não haver compreensão. Independentemente do seu conceito de amor, haverá sempre divergências, visto que são pessoas diferentes. Cabo a ambos “negociar” e encontrar um ponto intermédio.

4-Ninguem é de ninguém – Muitas pessoas numa relação amorosa caem no erro que pensar que são “donas” da outra pessoa. Pondo e dispondo na vida da outra pessoa: com quem pode falar, a que horas pode sair, o que pode ou não fazer, o que deve vestir, etc. Muitas vezes relacionado com o amor condicional ou chantagens emocionais: “se gostas de mim serás assim ou farás isso”. É importante não esquecer que a vida da pessoa não se resume à relação, mas é muito mais que isso. Uma relação que não respeita quem somos, não é saudável e não deve existir.

5-Liberdade – A liberdade é talvez um dos pontos mais importantes, mas só lhe damos valor principalmente quando não a temos. Numa relação, devemos permitir que a pessoa seja ela mesma, em toda a sua essência. Ela deve ser livre para “investir” o que achar melhor e quando achar melhor, e em momento algum se deve cobrar, ou exigir mais do que essa pessoa possa dar. Porque se isso acontecer, podem acontecer duas únicas coisas…ou a pessoa presa a sua saúde mental, abandonando a relação, ou a pessoa dá mais do que pode dar… e deixa de ser honesta consigo própria, deixando gradualmente de ser quem é.

E você, qual o seu maior erro?

Temas relacionados: A Importância da Psicologia ; 12 Crenças Irracionais de Ellis ; Psicopata: 7 Características Centrais ; Esquemas Mal Adaptativos de Young: Introdução ; Psicologia Clínica e a Relação Terapêutica ; BIRRAS: 6 Conselhos Úteis ; 12 Crenças Irracionais de EllisAfinal, o que é a Auto-Estima? ; Ciúme: Qual a sua Origem? ;Porque é Infiel o Ser Humano?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!