Motivar crianças e jovens para o estudo é sempre um desafio, para os pais e para os técnicos de educação como professores e até mesmo psicólogos. Mas como é possível motivar?

Motivar alunos atualmente é diferente de motivar alunos a umas décadas no passado. O meio é diferente, a tecnologia é diferente, criando vidas muito distintas das vidas que os nosso avós tiveram, daí podemos verificar que as crianças de hoje não são iguais às crianças do passado.

Atualmente é difícil surpreender as crianças ou mesmo captar-lhes a atenção, visto a velocidade extrema, a socialização, as características sócio-económicas e tecnológicas fazem com que o quotidiano atual seja cada vez mais um conjunto de momentos de desafios instantâneos.

Além disso, atualmente na “Idade do conhecimento e Informação” com a Internet, as crianças e os jovens têm acesso a vastíssima informação, aliás, mais informação do que o próprio possa processar. Este facto torna difícil o trabalho dos pais e técnicos de educação. Como podemos captar a atenção ou surpreender o filho ou o aluno, se estes já experienciaram coisas muito mais “espetaculares”.

Apesar de a motivação atualmente ser um contínuo desafio, existem várias dicas que podem facilitar.

Transforme os estudos num desafio – Se a vida atual é um contínuo desafio, porque não estabelecer desafios? Apesar da competição entre alunos, a médio, longo prazo, prejudica o grupo, a competição interior é uma força de superação. Transforme o exercício num desafio, até o exercício mais simples se pode transformar numa “batalha”, aproveite isso.

Interesse-se genuinamente – O interesse dos pais ou professores focada unicamente nas tarefas escolares é prejudicial. Conheça a criança/jovem, conheça os seus interesses, as suas fragilidades e potencialidades. É fácil “lutar”, por quem luta por nós ou nos é importante. Por isso, mais que exigir tarefas, conheça-os, acarinhe-os.

Transforme o feedback – Enquanto pai ou professor, um feedback positivo é fundamental para a não desmotivação. Não critique, invés disso, aceite e reforce. Se em tudo o que fazemos ouvimos críticas, mais tarde ou mais cedo iremos parar de fazê-lo. Valorize o esforço, mesmo que este não tenha alcançado o objetivo pretendido.

Evite a exposição de matéria – Os alunos e filhos não são “cartões de memória”, são muito mais que isso, por isso haja como tal. Evite a exposição de matéria, faça-os descobrir o conhecimento, através de interatividade, não lhes dê o conhecimento de “mão beijada”, assim não os motiva e nunca aprenderão.

Se deres um peixe a um homem faminto, vais alimentá-lo por um dia. Se o ensinares a pescar, vais alimentá-lo toda a vida.

Lao-Tsé

Promova a cooperação – Principalmente para os professores, se a turma se comporta como um todo, porque não usar isso a seu favor? Tenha objetivos gerais no grupo e integre os individuais nesses gerais e não o contrário. Promova a coesão grupal, faça-os sentir que o seu desempenho individual depende do desempenho do grupo, que ajudando o grupo, estarão a ajudar-se a eles próprios.

E você, consegue motivar os seus alunos/filhos?

Posts Relacionados: A importância da Psicologia ; 6 Dicas para Educar com Limites ; Aprendizagem: 3 Regras para uma Estratégia Eficaz ; BIRRAS: 6 Conselhos Úteis ; Bullying: 5 Medidas Essenciais para a sua Prevenção e Controle; Hiperatividade e Défice de Atenção: Causas e Consequências ; Psicologia Educacional ; 5 Princípios Fundamentais na Educação para a Resiliência

Autor: Jorge Elói

 

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!