A Aceitação é o primeiro passo para a mudança e auto-transformação. Ela é fundamental e central em qualquer mudança. Porém, todo este processo é complexo e difícil ao nível interno, tendo muitas implicações ao nível consciente e inconsciente.

A Aceitação por vezes é extremamente difícil, pois por vezes é difícil confrontar-se com as suas próprias verdades. É comum observar pessoas a tentarem fugir da sua própria verdade, pessoas para quem a solidão (Ver Solidão: Um Mal Necessário?) é uma dor extrema, pessoas que investem tempo, dinheiro em coisas e interesses irrealistas, pessoas que consomem estupefacientes e álcool de forma a perderem a lucidez perante a sua própria realidade. Contudo existem alguns passos que podem facilitar o processo.

Todo o caminho traz-nos conhecimento e sabedoria. Seja qual for o caminho ou caminhos que percorreu, independentemente seja bom ou mau, possivelmente aprendeu muito com isso. Não se deve envergonhar ou pensar que outro caminho seria melhor, pois, qualquer que seja o caminho, só o conhecemos depois de o percorrer. Em todos os caminhos aprendemos, principalmente nos maus. Se fizer uma retrospetiva à sua vida, irá reparar que curiosamente os piores caminhos, ou os caminhos mais difíceis, foram os que nos ensinaram mais, os que nos fizeram mais fortes ou os que nos obrigaram a Desenvolver e a Evoluir.

Todas as nossas experiências contribuíram para o que somos. Quantas vezes desejamos não ter passado por determinados momentos e acontecimentos? Quantas vezes quisermos esquecer momentos complicados que passamos? Quantas vezes nos envergonhamos de coisas que fizermos? Contudo esquecemo-nos que ao ter um passado diferente, teríamos um presente diferente e seriamos pessoas diferentes. Muitas das qualidades do ser humano têm origem em experiências e momentos complicados. Pense um pouco, em como se formaram as suas maiores qualidades, irá possivelmente deparar-se com momentos difíceis, as quais queria esquecer e apagar da sua memória. Ao estarmos a apagar más experiências possivelmente estaríamos inevitavelmente a apagar valiosas qualidades.

Não sinta culpa por ter seguido o caminho menos utilizado e não ter conseguido chegar onde pretendia. Como referi anteriormente não conhecemos o caminho até o percorrermos, além que não há caminhos iguais, apenas caminhos semelhantes. Assim, escolher um caminho depende mais que da nossa própria vontade, depende de muitas variáveis e contingências situacionais e temporais, e por mais que alguém com mais experiência nos indique o possível melhor caminho, sabemos que não há caminhos iguais, apenas caminhos semelhantes. Nada nos garante que seguindo outro caminho não teríamos uma experiência ainda pior.

Livre-se dos pensamentos negativos. Um dos fatores que impossibilitam a aceitação é a prevalência de pensamentos negativos. Nem todos são fáceis de se livrar, mas tente ser racional. Todos os pensamentos negativos fazem mal unicamente a você, todo o ódio, inveja, ciúme, etc. São corrosivos unicamente para as pessoas que os sentem. Odiar o vizinho, não vai fazer que o vizinho passe mal, mas sim você. E pense de onde vem esse ódio do vizinho, se procurar bem, talvez se encontre a si próprio.

“Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo.”

Fernando Pessoa

E você, evita-se ou aceita-se?

Temas relacionados: Psico-somáticas: Doenças e Sintomas ; Psicologia Clínica e a Relação Terapêutica ; Deus: Acreditar ou não Acreditar ; 9 Dimensões para Desenvolver a Criatividade; 12 Crenças Irracionais de Ellis ; Efeito Placebo: Conheça este Incrível Efeito ; Excesso de Peso: Origem Psicológica? ;Amizade: Importância Psicológica e Características ; Psicologia e Meditação: Um Instrumento ComplementarAfinal, o que é a Auto-Estima?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Autor: Jorge Elói

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

3 Comentários