A Psicologia do Transito é uma área muito específica da psicologia e muito recente. Ela estuda os comportamentos do ser humano no trânsito.

A Psicologia do Trânsito surgiu a aproximadamente 3 décadas, como sequência de inúmeras pesquisas em várias dezenas de institutos, laboratórios e centros de pesquisa. Pode ser considerada uma área da psicologia independente, visto que tem um objeto de estudo independente, este refere-se ao comportamento e funcionamento humano, porém o ser humano como interveniente do trânsito, entendendo-se por trânsito o conjunto de deslocamentos dentro de um sistema regulamentado.

A área da Psicologia da Trânsito estuda os comportamentos de todos os intervenientes no trânsito, nomeadamente: os pedestres (peões), os motoristas, os motoqueiros, os ciclistas, os motoristas e passageiros de transportes de coletivos, incluindo inclusive os participantes do tráfego aéreo, marítimo, fluvial e ferroviário. Porém a Psicologia do Trânsito foca-se essencialmente nos comportamentos dos intervenientes no tráfego nas redes urbanas.

O comportamento dos intervenientes no trânsito embora aparentemente se percecione como simples, este implica uma elevada complexidade. O comportamento no trânsito pode incluir processos de atenção e concentração, de deteção e diferenciação, de perceção, de tomada de decisão, memória a curto e a longo prazo, a aprendizagem e o conhecimento de normas e símbolos gerais e específicos, a motivação. Integra também uma série de automatismos perceptores-motores, de uma velocidade de resposta elevada pronta ao feedback e à previsão de situações em cruzamentos, curvas, lombas. Bem como também uma serie de atitudes, sentimentos e emoções face aos outros intervenientes, à autoridade, às normas de segurança, etc. Assim sendo é necessário uma análise aprofundada a fim de prever e evitar acidentes.

A Psicologia do Trânsito está relacionada direta e indiretamente com inúmeras outras áreas científicas e de conhecimento, além de outras áreas da psicologia, refiro nomeadamente: a medicina do trabalho, a estatística, a física, a ergonomia, a sociologia, a pedagogia, a criminologia e o direito.

Os objetivos da Psicologia do Trânsito, passam por conhecer os comportamentos e atitudes ao nível do trânsito, numa dimensão individual e social, contribuindo para uma compreensão mais ampla do ser humano. Outro objetivo importante, passa pelo melhoramento da situação da estrada e da sinalização rodoviária, já que estudando os processos cognitivos, dão-nos indícios de como chegar mais facilmente ao ser humano. Porém o objetivo central, ou se lhe podemos chamar, “a missão” da psicologia do trânsito centra-se em diminuir a quantidade de acidentes nas estradas, já que ela pode desenvolver diretrizes educacionais mais eficientes para o ensino das normas e regras de transito, bem como a respetiva sensibilização para determinadas situações perigosas.

Desta forma a área de ação do psicólogo do trânsito é muito ampla, muitas vezes inter-relacionando-se com outras áreas da psicologia, como a psicologia da saúde, a psicologia educacional ou a psicologia ambiental. A psicologia do trânsito é uma área relativamente nova, porém com imenso potencial.

Curiosidade: Consequência de processos de atenção distintos entre homens e mulheres, estudos indicam que as mulheres podem ter mais acidentes que os homens, contudo menos graves. Os homens têm menos acidentes, mas muito mais graves que as mulheres. (Ver Cérebro: Masculino Vs Feminino)

E você, sabe porque ocorrem acidentes  de trânsito?

Posts Relacionados: A importância da Psicologia ; Cérebro: Masculino Vs Feminino ; NeuroPsicologia: O Cérebro HumanoAtividade Física: Benefícios Psicológicos ; Síndrome de Pânico: Causas e Implicações ;Síndrome Burnout: Causas e Implicações ; Paralisia Cerebral: Causas e Implicações ;7 Memórias do Ser HumanoAprenda a Meditar em 6 Passos ; Atividade Física: Benefícios Psicológicos

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!