A Timidez afeta uma grande parte da população, todos temos um amigo tímido. Até muitos de nós temos algum “grau” de timidez. Mas o que é a timidez? É assim tão incapacitante, no quotidiano?

Ao contrário do que se possa inicialmente pensar a Timidez não é um transtorno. Pois não preenche nenhum dos critérios do DSM-IV.

A Timidez é um conjunto sinais e sintomas, refletidos num padrão de comportamentos e alterações fisiológicas que impossibilitam que a pessoa Tímida interaja da mesma forma como as não Tímidas. As alterações fisiológicas podem passar pela aceleração dos batimentos cardíacos, aceleração da respiração, aumento da pressão arterial.

Não existe unanimidade na explicação da Timidez. Investigadores afirmam que a timidez possui uma predisposição genética, que com um meio favorável facilmente irá desenvolver. Outros porém defendem que se deve unicamente à educação, que se deve à forma como foram “ensinados” a explorar o meio.

A Timidez pode ser vista como fruto da educação. Um exemplo claro, é que na primeira infância quando a criança começa a explorar o meio, os pais devem ter um papel de equilíbrio, nem muito próximos, superprotegendo, nem muito longe, negligenciando. Em qualquer dos exemplos, estão a aumentar as probabilidades da experiência de exploração do meio não ser positiva. Isto é, se protegem demasiado, irão inibir a autonomia, protegendo de todos os obstáculos até mesmo daqueles que ele seria capaz de superar sozinho. Por outro lado, se negligenciam, deixam à mercê te todos os obstáculos, logo, dificilmente será bem-sucedida. Em ambos os casos têm repercuções nas experiências futuras.

A Timidez pode ser vista como originária de alterações neurológicas, nomeadamente alterações na amígdala e no hipocampo, visto que a amígdala é responsável por detetar o medo e o hipocampo pelas alterações fisiológicas na timidez. Assim, podemos percecionar uma situação perigosa quando afinar não o é.

A Timidez pode ser explicada pelo medo do julgamento dos outros ( consequente da baixa auto-estima). Muitas vezes acompanhada pela presença de características egocêntricas, isto é, acompanhado por crenças como “todo o mundo está a olhar para mim”, “ todo o mundo pode falar mal de mim”, que intensificam o medo.

A Timidez pode ser vista como um contínuo. Podendo estar presente em todas as pessoas, mas como um contínuo, podendo variar de inexistente a totalmente incapacitante. Também chamada de introversão contrariando a extroversão. Estas, estão presentes na teoria do Big Five, que defende que a personalidade é composta por 5 características, sendo a introversão uma dessas 5. Nesta perspetiva a introversão é algo normal e presente em todas as pessoas, porém em níveis diferentes.

A Timidez pode evoluir para uma patologia quando passa a ser incapacitante, impossibilitando a vida normal do individuo. As patologias associadas, são entre outras: fobia social (Ver Medo e Fobia: Diferenças e Semelhanças) e Perturbação de Pânico (Ver Síndrome de Pânico: Causas e Implicações).

A Timidez não impossibilita a realização pessoal, mas empobrece a qualidade de vida. Visto que as interações e relações dificilmente são intensas e profundas, mas quando isso acontece demora muito mais tempo.

E você, é Tímido?

Temas relacionados: 12 Crenças Irracionais de Ellis ; Psicopata: 7 Características Centrais ; Psicosomáticas: Doenças e Sintomas ; 5 Princípios Fundamentais na Educação para a Resiliência ; Amizade: Importância Psicológica e Características ; Esquemas Mal Adaptativos de Young: Introdução; Afinal, o que é a Auto-Estima?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Autor: Jorge Elói

 

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!