O Excesso de peso representa um dos maiores problemas de saúde atuais. Porém o excesso influencia o “psicológico” e este é influenciado pelo excesso de peso. Isto é, existem fatores psicológicos que tornam as pessoas mais suscetíveis a excesso de peso. Por outro lado, o excesso de peso tem forte influência ao nível psicológico.

De acordo com uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde, mais de um bilião de pessoas no mundo têm excesso de peso. Antes de 2015, o número pode chegar a 1,5 bilião.

O Excesso de peso é influenciado por fatores psicológicos. Isto é, pode ser considerado um sintoma como resposta a algo que acontece na vida do individuo. Acontecimentos como: o nascimento de irmãos, separação dos pais, o início da escola, a adolescência, serviço militar, casamento, nascimento de filhos podem dar origem a excesso de peso.

O Excesso de peso pode ter origem psicossomática (Ver Psico-somáticas: Doenças e Sintomas), especificamente devido a problemas emocionais, nomeadamente a ansiedade. A Ansiedade representa então um dos problemas centrais no excesso de peso. As pessoas ansiosas são possuem mais tendência a terem excesso de peso, por outro lado o excesso de peso aumenta a ansiedade, formando um ciclo vicioso e auto-destrutivo. Visto que o excesso de peso tem influencia em muitos aspetos no organismo.

Além disso, é importante referir também a existência de predisposição genética para ganhar peso. Contudo, existe muitas vezes outro fator que se confunde com a predisposição genética, refiro-me à cultura e hábitos gastronómicos. Por vezes, o filho tem excesso de peso, a mãe e o pai também, mas ao contrário que possa parecer, pode não ser tendência genética, mas sim cultura e hábitos alimentares.

Comer pode ser interpretada como, uma forma de sentir prazer. Logo, as pessoas com mais dificuldades de sentir prazer, terão mais tendência para comer mais. Problemas como a depressão, que afeta a capacidade de sentir prazer, faz consequentemente que haja um maior risco de excesso de peso. Originando um ciclo vicioso, já que ao aumentarem o peso, afetará a imagem corporal e por sua vez agravará a depressão.

De um ponto de vista psicodinâmico, comer representa a saciação de uma necessidade existente. Muitos autores defendem que se deve a pouca valorização pessoal, adquirida principalmente na infância, na relação com os pais. Comer torna-se assim uma forma de colmatar a necessidade de valor pessoal, logo as crianças com baixa auto-estima e pouco valorizadas na infância, serão adultos com um maior risco de ganhar peso. É importante referir que os mesmos autores, também defendem que esse “colmatar de necessidades” pode ser desencadeados por momentos em que se reflete esse mesmo sentimento. No entanto, o excesso de peso, vai afetar a empregabilidade, originando sentimentos e emoções de falta de valor, formando mais uma vez um ciclo vicioso.

Na minha opinião, cada caso é um caso. Não existe uma explicação para o excesso de peso. O excesso de peso é explicando individualmente em cada sujeito. Além de que muitas vezes o excesso de peso apenas pode ser explicado numa perspetiva multifatorial.

E você, tem tendência para ter excesso de peso?

Temas relacionados: A Importância da Psicologia ;Psico-somáticas: Doenças e Sintomas ; Psicologia Clínica e a Relação Terapêutica ; Deus: Acreditar ou não Acreditar ; 9 Dimensões para Desenvolver a Criatividade; 12 Crenças Irracionais de Ellis ; Efeito Placebo: Conheça este Incrível Efeito; Descodificando o Segredo: Lei da Atração ou Efeito Pigmaleão?

Autor: Jorge Elói

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

2 Comentários