Actualmente em vários locais e empresas relacionados com educação, ouvimos falar em apoio psicopedagógico. Mas o que constitui este apoio? Quem o pode fazer?

O apoio psicopedagógico tem como objectivo geral, potencializar a aprendizagem e as capacidades do indivíduo. Utilizando várias estratégias, não apenas estratégias psicológicas, mas também pedagógicas.

O apoio psicopedagógico decorre em 3 fases principais:

1º Fase – Avaliação

Onde o profissional que apoia, utilizados várias técnicas e métodos, tais como questionários, escalas, provas escritas. Esta fase visa avaliar as dificuldades, limitações e competências fundamentais pouco desenvolvidas.

2ºFase – Estratégia

Nesta segunda fase, o profissional define uma estratégia. Com base na avaliação, o profissional define como vai colmatar as dificuldades e limitações. A estratégia tem que se o mais personalizada possível, já que casa pessoa é única.

3ºFase – Intervenção

Depois da avaliação e da estratégia definidas, resta por mãos à obra. A intervenção é por para a prática tudo o definido pela estratégia. Caso seja necessário a estratégia deve ser reformular de forma a ser mais eficaz e eficiente.

É importante referir que tanto a avaliação, a estratégia ou intervenção, devem ser as mais personalizadas possíveis, além de que cada profissional tem as suas técnicas e métodos, assim não existem dois “apoios” iguais, pois não existem pessoas iguais.

Quem pode fazer este tipo de apoio?

O apoio psicopedagógico tal como o nome indica, pode fazer-se por pessoas com formação em psicologia e pedagogia. Não basta ser um professor ou um psicólogo, tem de ser um professor com algum conhecimento ou pós graduação em psicologia, ou um psicólogo da área educacional.

Qual a diferença então da psicoterapia e do apoio psicopedagógico?

Embora inicialmente possam parecer semelhantes, não o são. Os objectivos da psicoterapia passam por proporcionar o bem-estar psicológico, indo de encontro a minimizar os sintomas das psicopatologias. Já o apoio psicopedagógico, visa fundamentalmente potencializar a aprendizagem.

É importante referir que a capacidade de aprendizagem é um resultado de interações entre o meio, a personalidade, competências cognitivas, motivação, interesses, etc. Logo, não é possível falar em aprendizagem ou pedagogia sem falar em psicologia, pois ambas estão intimamente relacionadas.

O ser humano aprende desde que nasce até à sua morte. Contudo não devemos esquecer que o apoio psicopedagógico, foca-se essencialmente nas aprendizagens escolares e principalmente explicitas.

Posts Relacionados:Palmada Pedagógica: Educa ou (Des)Educa?6 Dicas para Educar com Limites ; Aprendizagem: 3 Regras para uma Estratégia Eficaz ; BIRRAS: 6 Conselhos Úteis ; Bullying: 5 Medidas Essenciais para a sua Prevenção e Controle; Psicologia Educacional ; 5 Princípios Funtamentais na Educação para a Resiliência ; 7 Dicas para Promover a Autoestima nas Crianças ; 11 Princípios para “fazer” do seu filho um Delinquente ;

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!