À Procura da Confiança Perdida

A confiança é fundamental ao ser humano é uma das principais necessidades do ser humano. Existem muitas formas e estratégias na tentativa de encontrar essa confiança que falta. Uma das estratégias mais comum e subtil nos dias de hoje é na aquisição de títulos e formações.

A confiança é uma das necessidades essenciais ao ser humano, já Maslow afirmava em sua pirâmide. Porém por vezes é muito difícil de encontrar e cada pessoa desenvolve as suas próprias estratégias, umas mais comuns e subtis, outras mais incomuns e excêntricas. Contudo não devemos esquecer que muitas dessas estratégias são “ilusórias”, a médio e longo prazo não levam à confiança, mas muitas vezes ao extremo oposto, à ausência ainda maior de confiança.

Para cada um, a confiança pode revelar-se de diferentes formas, consoante as crenças que temos e que nos foram “impostas”, directa ou indirectamente. Para alguns procuram a confiança a sentir-se fortes, a sentir-se bonitos, a sentir-se o centro das atenções, para outros procuram a confiança a liderar pessoas, a possuir muito dinheiro, a possuir poder, etc.

Mais recentemente tenho verificado a procura de confiança em títulos académicos e formações, pessoas que tiram um curso, porém quando finalizando esse curso não se sentem com confiança necessária para enfrentar a prática e assim procuram um próximo curso com o objectivo de encontrar essa confiança que lhe faltava no curso anterior, mas na grande maioria isso não acontece, acabando o curso e continuando com ausência de confiança. Fazendo que a pessoa tenha muitos cursos, títulos, formações, mas experiência pouca ou nenhuma.

Todas as estratégias são positivas, tirar cursos proporciona conhecimento, tal como ir ao ginásio proporciona bem-estar e ter dinheiro proporciona maior liberdade e estabilidade financeira. Todas as estratégias são validas e positivas, sendo possível encontrar muita coisa positiva e de valor, como: conhecimento, o bem-estar, a estabilidade financeira, no entanto dificilmente se encontrará a confiança.

Tal como numa doença é fundamental focarmo-nos na origem e não nos sintomas superficiais. A confiança funciona de igual forma, ela é algo intangível e que vem de nós próprios, do nosso interior, por mais que a procurarmos no exterior não a vamos encontrar. Todas essas estratégias são construídas com base expressão da mesma carência, a falta de CONFIANÇA. São importantes, tal como quando estamos doentes tomamos um comprimido para a febre, contudo não devemos negligenciar o que está a causar a febre, isto é, a origem do sintoma.

A confiança vem do nosso interior, visto isto, por mais que procurarmos no exterior, se não mudarmos de atitude, não a vamos encontrar. Confiança está intimamente relacionada com a nossa relação connosco próprios. É comum e fácil de encontrar pessoas ricas, professores universitários, atletas, modelos, entre outros, com falta de confiança, aqui está uma prova directa e objectiva está no nosso interior e não nas características externas.

Se quer encontrar a confiança, mude de atitude, esteja mais consigo, liberte-se dos medos. Aceitar-se a si próprio é um passo importante para ser aceite pelos outros. Valorize-se, você é única com todas as suas qualidades e defeitos.

Nos títulos e formações, não tenha medo da prática. Lembre-se que independentemente como correr a prática, pode apreender e pode melhorar. Além de que todas as pessoas têm direito a cometer erros, afinal de contas somos humanos. Não tem que ser perfeito! Dê o passo em frente, acredite que você já possui mais capacidades e competências do que aquelas que acredita possuir.

É bom lembrar que o que para uns pode representar uma estratégia, para outros pode não representar. Isto é, uma pessoa pode tirar um curso à procura de confiança enquanto outra pode fazer o mesmo por amar o conhecimento ou por outro motivo.

E você, já encontrou a sua confiança?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Posts Relacionados: Autoeficácia: Quando acreditar é Fundamental!5 Princípios Funtamentais na Educação para a Resiliência; Afinal, o que é a Auto-Estima? ; Programação NeuroLinguística Cérebro: Masculino Vs Feminino; ; NeuroPsicologia: O Cérebro Humano ; Marketing e Psicologia ; Marketing e Psicologia: 6 Pontos para Seduzir o Verdadeiro Decisor ; Como Definir Objetivos : Ferramenta SMART ; 8 Dicas para Gerir Melhor o Seu Tempo ; Ser Sonhador: Saudável ou é Destruidor?

Sem Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!