Jung: Inconsciente Coletivo e Arquétipos

17 de outubro de 2012 por: Jorge Elói

Inconsciente coletivo é um curioso conceito criado por Jung, considerado o inconsciente mais profundo. Um inconsciente partilhado por todos, onde estão contidos arquétipos das experiências.

Segundo Carl Jung, disc√≠pulo de Freud, o inconsciente do ser humano √© constitu√≠do por o inconsciente pessoal, introduzido por Freud e ao n√≠vel mais profundo o inconsciente coletivo. Este √© partilhado por todos os seres humanos, ao contr√°rio do inconsciente pessoal, que √© √ļnico para cada pessoa. Logo, nesta ‚Äúcamada‚ÄĚ do inconsciente todos os seres humanos s√£o iguais.

O Inconsciente Coletivo ao contrário do inconsciente pessoal, não deriva da experiência pessoal nem das idiossincrasias de cada um. Assim, todo e qualquer ser humano partilha uma parte do inconsciente com todos os restantes. Aliás, não podemos falar de partilha visto não haver um dono.

Existem duas interpreta√ß√Ķes distintas de inconsciente coletivo. Uma define inconsciente coletivo como algo interno e comum a todos os seres humanos, como uma estrutura heredit√°ria. Outra define inconsciente coletivo como algo externo em que o ser humano n√£o o possui, apenas tem acesso.

O inconsciente pessoal e coletivo são estruturas complementares, e segundo Jung manifestam-se igualmente nos sonhos. Pois enquanto uns sonhos estão diretamente relacionados com a vida do individuo, outros parecem um conjunto de imagens sem sentido aparente, que não são associáveis á vida do indivíduo.

Segundo Jung, o inconsciente coletivo é hereditário, ele é uma base de dados, que retém toda a informação dos nossos antepassados humanos, pré-humanos e até animais. Jung, afirma que nele estão contidos arquétipos.

Arqu√©tipos s√£o tend√™ncias herdadas, s√£o inatas e ultrapassam o conceito de vida individual, pois eles existem antes do indiv√≠duo e continuar√£o a existir ap√≥s o indiv√≠duo. Arqu√©tipos podem ser considerados modelos ou ideias puras, respons√°veis por nos comportarmos de forma semelhante aos nossos ancestrais perante situa√ß√Ķes semelhantes. Como em acontecimentos como o nascimento, a morte, o casamento, a adolesc√™ncia, rea√ß√£o perante o perigo externo. Existem tantos arqu√©tipos quantas situa√ß√Ķes t√≠picas da vida.

O conte√ļdo do inconsciente coletivo, isto √© os arqu√©tipos, ativam padr√Ķes pr√©- formados de comportamento pessoal. Por outras palavras, em determinadas situa√ß√Ķes ou perante determinado objeto ou comportamento, iremos comportar-nos e sentir, igual a todos os seres humanos.

O conceito/imagem de pai e mãe, segundo Jung estão no nosso inconsciente coletivo, são responsáveis pela forma quase universal de nos intensificarmos com eles. Não podemos confundir os conceitos construídos socialmente e culturalmente e os arquétipos, pois estes vão para além da cultura e sociedade.

O inconsciente coletivo n√£o √© algo est√°tico, mas √© algo din√Ęmico onde a experi√™ncia de cada um pode contribuir para a sua estrutura. Pressup√Ķe-se que se a maioria das pessoas come√ßa-se a pensar e comporta-se de diferente forma isso iria alterar o inconsciente coletivo. Quem nunca ouviu que uma boa a√ß√£o √© inspiradora e contagiante? Pode ser inspiradora e contagiante a um n√≠vel conscientes, mas tamb√©m a um n√≠vel inconsciente, alterando o inconsciente coletivo. Teoricamente, com esse conceito de inconsciente coletivo, um conjunto de boas a√ß√Ķes, poderia mudar mentalidades a pessoas que n√£o contactassem diretamente com essas a√ß√£o, pois se fosse capaz de altera um pouco da estrutura do inconsciente coletivo, esta seria partilhada por todos.

A ideia de inconsciente coletivo est√° longe de ser aceite por todo os investigadores, mas na d√ļvida, por que n√£o fazer boas a√ß√Ķes?

E você, o que acha da ideia de inconsciente coletivo?

Posts Relacionados: Gl√Ęndula Pineal: Fun√ß√Ķes Paranormais? ; Descodificando o Segredo: Lei da Atra√ß√£o ou Efeito Pigmale√£o? ; C√©rebro: Masculino Vs Feminino ; NeuroPsicologia: O C√©rebro Humano ; NeuroPsicologia: Linguagem ; 8 Verdades sobre o C√©rebro; Hipnose ; Psicologia e Medita√ß√£o: Um Instrumento Complementar ; Aprenda a Meditar em 6 Passos ; Inconsciente: O local das “Verdades”?

Jorge Elói

facebooktwittergoogle plus

Residente no distrito de Leiria. Fundador e Criador do Espa√ßo Psicologia Free. Licenciado em Psicologia, Mestre em Psicologia da Educa√ß√£o, Hipnoterapeuta Certificado, Certificado Internacional em Coach, Formador. Conhecimentos de programa√ß√£o e Webdesigner. Experi√™ncia na √Ārea de Marketing e Comercial. Adora jogging, futebol, xadrez, aprender e uma boa conversa. Curioso, criativo e empreendedor!


ÔĽŅ

Sair da Resposta