Desde da infância que fazemos amigos, crescemos com amigos, sentimo-nos bem com amigos. Mas serão assim os amigos tão importantes nas nossas vidas como sentimos? Estarmos com os amigos faz-nos realmente mais feliz?

Estarmos com amigos é uma forma privilegiada de socializar e a socialização tal como Vygotsky afirma, é a base do desenvolvimento humano. Sem a socialização, não desenvolveríamos processos cognitivos superiores nem nos apropriaríamos devidamente da cultura.

Pesquisas mostram que durante a vida, acumulamos aproximadamente 400 amigos. Em média vivemos rodeados por uns 30/40 amigos e em média apenas 6 são verdadeiros. Os adultos passam menos 10% de tempo com amigos do que adolescentes e crianças.

Os amigos contribuem para a construção da própria identidade, das ideias e valores, sentimentos de pertença e objetivo. Estes são fundamentais na construção do nosso auto conceito, visto que a ideia que temos de nós próprios é construída pelo contínuo reflexo que os outros nos transmitem.

Está comprovado que a companhia frequente de amigos reduz bastante o risco de depressão, a ansiedade, os sintomas degenerativos das demências. As pessoas que estão rodeadas de amigos possuem hábitos mais saudáveis, preocupam-se mais consigo próprias, possuem uma auto-estima mais elevada, melhor bem-estar e até melhor sistema imunitário.

A presença de um bom amigo, faz com que resolvemos melhor os problemas que nos surgem na vida, poupando-nos dores de cabeça, ansiedade, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares.

As pessoas que se isolam sofrem até 3 vezes mais risco de morte prematura. O cancro surge com menos frequência às pessoas que têm bons amigos. As pessoas solitárias possuem um risco de 5 a 10 vezes maior que serem hospitalizadas por distúrbio mental.

Mas afinal o que é a amizade? Investigadores indicam que a amizade se centra em 8 características:

Prazer – Os amigos sentem prazer pela companhia uns dos outros.

Aceitação – Os amigos aceitam-se sem se tentar mudar, aceitam-se incondicionalmente.

Confiança – Os amigos confiam uns nos outros, sabem que não se vão magoar.

Respeito – Os amigos mostram consideração e respeito pelos sentimentos mútuo.

Ajuda Mutua – Os amigos ajudam-se mutuamente, nos bons e maus momentos.

Confidência – Os amigos partilham os seus sentimentos e segredos íntimos.

Compreensão – Para os amigos é importante a compreensão mútua.

Abertura – Os amigos podem ser genuínos, sem se inibirem por possíveis juízos pejorativos.

 

Por outro lado a aproximação das pessoas depende de 7 fatores:

Proximidade – A proximidade geográfica é importante na hora de fazer-mos amigos.

Familiaridade – Existe mais probabilidade de nos aproximarmos de pessoas que falamos regularmente.

Atração física – Esta comprovado que em média aproxima-mo-nos mais das pessoas mais próximas do padrão cultural de beleza.

Semelhanças Interpessoais – Aproxima-mo-nos principalmente de pessoas com quem temos coisas em comum.

Qualidades – Aproxima-mo-nos mais das pessoas que possuam características que achamos positivas, logo, existe maior probabilidade de construímos amizade com essas pessoas.

Complementaridade – Aproxima-mo-nos das pessoas que possuímos coisas em comum, mas o desenvolvimento e construção somos atraídos por características que não possuímos, isto é, que nos complementam.

E para você, a amizade é importante? As Suas Amizades possuem as 8 características acima referidas?

Temas relacionados: A Importância da Psicologia ;Psico-somáticas: Doenças e Sintomas ; Psicologia Clínica e a Relação Terapêutica ; Deus: Acreditar ou não Acreditar ; 9 Dimensões para Desenvolver a Criatividade; 12 Crenças Irracionais de Ellis ; Efeito Placebo: Conheça este Incrível Efeito ; Excesso de Peso: Origem Psicológica?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Autor: Jorge Elói