Os Mecanismos de Defesa são mecanismos com o objetivo garantir a integridade do ego face às angústias que nos confrontam. Mas como processam esses mecanismos? E quantos “mecanismos de defesa” existem?

“Mecanismos de Defesa” foi um conceito que teve origem na psicanálise de Freud e posteriormente utilizada e adaptada por outras abordagens. Este fato pode refletir o sucesso explicativo deste conceito, daí a necessidade de adaptá-lo e replica-lo a outras abordagens.

Os mecanismos de defesa são processos inconscientes que garantem a integridade do ego, isto é, os mecanismo de defesa são uma espécie de proteção mental face as angústias. Estes são considerados um sistema de adaptação emocional.

Iremos descrever 8 Mecanismos de Defesa:

Racionalização – A racionalização é um processo em que procuramos encontrar fundamentos racionais, para atitudes e comportamentos com origem emocional, isto é, uma tentativa inconsciente de camuflar o verdadeiro fundamento, logo não pode ser considerado uma mentira.

Isolamento – No isolamento, o individuo isola sistemas de conteúdo mental e ou emocional, isto é, separa emoções que outrora estavam associadas. Isto de forma a se proteger da angústia. Por exemplo alguém que rouba e não sente sentimentos de culpa ou alguém que perde um parente próximo sem sentir o sentimento de perda.

Sublimação –A sublimação é a busca da forma socialmente aceitável de “transformar” os seus impulsos “condenáveis”. Um exemplo claro é alguém atraído pelo fogo, tornar-se bombeiro. Porém existem outras formas de sublimação, mais subtis, como a arte. Um artista criar uma obra que represente para si os seus desejos mais condenáveis, porém é algo aceite e valorizado socialmente.

Projeção – Talvez o mecanismo de defesa mais popular. Neste o indivíduo afasta de si características negativas, salvaguardando-se da angústia das ter. Um claro exemplo disso, são os alunos que após uma nota negativa, atribuem a culpa á professora ou mesmo ao teste, “que o teste era difícil” ou “saiu matéria que não tínhamos dado”.

Repressão –É um poderoso mecanismo inconsciente responsável por fazer esquecer os acontecimentos e momentos traumáticos e de extrema angústia. É considerado uma espécie de “esquecimento” motivado e seletivo. É frequentemente em graves acidentes, as pessoas esquecerem o que aconteceu.

Formação Reativa – Este processo acontece quando existe repressão dos próprios impulsos acompanhada com uma tendência contrária. Assim, mantem o impulso indesejado e oculto longe do consciente, super-enfatizando o impulso oposto, ainda que “falso”. Por exemplo, uma pessoa demasiado corajosa, pode ser reflexo de medo oculto ou um homem demostra ser “demasiado masculino” para camuflar a sua feminidade.

Identificação – Na identificação o individuo identifica-se com uma personagem ou grupo, de forma a partilhar triunfos e glorias, minimizando as angústias. É frequente identificarmo-nos com um Herói de um filme, encontrando semelhanças nas ações e atitudes.

Regressão –Na regressão o individuo face a frustrações incapaz de gerir, retorna a estádios de anteriores de desenvolvimento. Tendo um comportamento mais infantil. Um exemplo deste processo é que perante um problema o individuo chora, remetendo-se para a infância em que o chorar poderia resolver muitos dos problemas.

É importante referir que não temos controle sobre os mecanismos de defesa porque são inconscientes. Além disso utiliza-los não é de forma alguma sinal de defesa, mas sim que os nosso sistema de proteção funciona corretamente. É de referir também um determinado comportamento ou atitude pode ter muitas explicações, os exemplos dados podem dever-se a outros fatores e não exclusivamente a mecanismos de defesa.

Existem mais mecanismos daqueles descritos neste post, iremos falar deles mais à frente. Além de aprofundar um por um.

E você, usa Mecanismos de Defesa?