Na vida todos nós passamos por momentos menos bons, momentos de sofrimento, momentos que desejamos nunca termos passado, momentos que consideramos inúteis. Mas e se os conseguíssemos “reciclar”, transformando-os em coisas positivas, continuariam a ser assim tão inúteis?

Todos os seres humanos possuem momentos de sofrimento na sua vida, momentos de angústia e tristeza pelos quais todos passamos um dia. O sofrimento pode ter várias origens: pais que não nos valorizam, colegas que aproveitam de nós, amigos que nos dececionam, a perda de alguém querido, etc. Porém, independentemente da origem e da intensidade, será sempre sofrimento. Algo que sentimos como inútil, e desejamos que nunca nos tivesse acontecido, contudo podemos transformá-lo.

4 Etapas para Reciclar” Sofrimento

Etapa 0 – Relativizando – Em momentos de sofrimento, todo o nosso sistema cognitivo fica alterado (processos como o raciocínio, as emoções e a memória). Quando nos lembramos de determinado período de sofrimento no passado, dificilmente conseguimos ver as coisas positivas que ocorriam na mesma altura, devido à alteração do nosso sistema cognitivo.

Tarefa simples: Proponho-lhe que se lembre de determinado período de e posteriormente escreva num papel pelo menos 10 coisas positivas relacionadas com esse mesmo período.

 

Etapa 1- Perspetiva- Todo e qualquer sofrimento do ser humano, é um conjunto de emoções e sentimentos negativos em resposta a um acontecimento negativo. Como sabemos, a experiência de cada um é algo subjetivo, algo intransferível e único. Assim cada sujeito vive os acontecimentos de forma diferente. Quantas vezes vimos pessoas com problemas extremamente graves, a “sorrir para a vida” e nos questionamos, como é que aquela pessoa sorri ou pode estar feliz depois de tudo o que lhe aconteceu? Se a experiência é subjetiva, o sofrimento também o é, visto que faz parte da experiência. E algo subjetivo é algo que podemos alterar, porque depende da perspetiva.

Imaginem um muro, preto de um lado e banco de outro, um indivíduo de cada lado. Quando ambos olham para o muro, um vê o muro branco e outro vê o muro preto, no entanto estão a ver o mesmo muro e ambos vêm a “verdade” quando o vêm branco ou preto. O mesmo acontece com o sofrimento, depende da forma como vimos determinado acontecimento.

Tarefa simples: Proponho-lhe que escreva num papel a história do seu sofrimento e posteriormente e tente reescreve-la de uma forma mais positiva.

 

Etapa 2 – Utilidade – É frequente desejarmos num determinado momento não termos sofrido, desejarmos ter uma borracha para apagar momentos do passado. Mas como em qualquer experiência, ensina-nos algo para a vida, nem que seja “o caminho por onde não ir”. Logo, determinado sofrimento irá obrigatoriamente ensinar-nos algo.

Tarefa simples: Proponho-lhe que escreva pelo menos 5 aprendizagens positivas que determinado sofrimento lhe proporcionou.

 

Etapa 3 – Valorização – As nossas experiências, constituem uma importante parte na forma como somos. Cada experiência, contribui de forma mais ou menos expressiva, na maneira como nos comportamos, nas nossas crenças,  atitudes,  interações com o mundo, na forma como nos vimos a nós próprios, etc. Assim, o sofrimento, obrigatoriamente também contribuiu para sermos como somos.

Tarefa simples: Proponho-lhe que escreva pelo menos 5 características positivas suas, consequências de determinado sofrimento.

 

É importante que se foque no mesmo momento de sofrimento nas 4 etapas.

 

Conseguiu “reciclar” um pouco do seu sofrimento?

Temas relacionados: A Importância da Psicologia ; 6 Passos para Maximizar o Potêncial de Empregabilidade ; Psicologia Clínica e a Relação Terapêutica ; Deus: Acreditar ou não Acreditar ; 9 Dimensões para Desenvolver a Criatividade; 12 Crenças Irracionais de Ellis

Autor: Jorge Elói