A Meditação é uma prática muito antiga que visa o bem-estar físico e psicológico através dos exercícios mentais. Mas afinal o que é Meditar? Como posso eu Meditar?

A Meditação é definida como um conjunto de exercícios mentais, tendo benefícios a vários níveis da vida diária. A prática da meditação pode auxiliar e complementar a prática dos profissionais de psicologia (Ver Psicologia e Meditação: Um Instrumento Complementar).

A prática da Meditação nasceu no oriente e ao contrário do que se possa pensar não está associada a nenhuma religião. Existem centenas de variações de formas de meditar, mas o objetivo de todas é comum, auto-conhecimento, bem-estar psicológico e físico.

Surge então a pergunta: “O que faço para Meditar?”. Vamos então descrever resumidamente o processo.

1º Lugar apropriado- Primeiro que tudo escolha um local apropriado, onde não exista a possibilidade de barulhos e interrupções, nem essa preocupação. Para iniciantes é importante ser muito rigoroso neste primeiro ponto, visto que nos iniciantes a atenção dissipasse com extrema facilidade. É importante estar num sítio em que além de não haver barulhos, não haja a preocupação de ser interrompido. Tem que se desligar completamente do mundo por alguns minutos.

2º Confortável- Sentir-se confortável é fundamental, vista roupas confortáveis, evite roupas apertadas, pois qualquer pressão corporal pode desviar a atenção e perdermos o foco. Não existe posição definida, aliás esta pode variar consoante a técnica de meditação. Contudo esta implica sentir-se confortável, cada pessoa tem a sua posição mais adequada. É aconselhável numa cadeira semideitada, ou mesmo deitada na cama, porém esta última pode aumentar o risco de adormecer.

3º Respiração- Foque a sua atenção na sua respiração e no seu corpo. Visualize cada inspiração e expiração. Foque-se na respiração e nas alterações do seu corpo, como o seu diafragma aumenta e diminui.

4º Relaxe- Paralelamente à respiração, mantendo-se imóvel relaxe cada músculo de seu corpo. Visualize os seus músculos a relaxar, um por um, desde a ponta dos pés até à ponta da cabeça. Gradualmente, se possível, seguindo o ritmo da respiração. Em cada expiração relaxe mais um músculo, até o corpo ficar completamente relaxado.

5ºAtenção- Depois de o corpo estar completamente relaxado, continue focando a sua mente. Caso seja necessário utilize um mantra (como o “OHM”), prenuncie-o internamente, a cada expiração, visualizando-o.

6º Sem Pensar- Principalmente nos iniciantes, muitas imagens e pensamentos podem tentar “inundar” o cérebro. Não lhe dê atenção, afaste-os de seu cérebro. Elimine todo e qualquer pensamento que possa surgir. Foque a sua atenção, isso vai minimizar as probabilidades de surgirem pensamentos detratores. Naquele momento, não importa o ontem nem o amanha, apenas o momento presente.

 

É importante referir que meditação é um exercício, e como qualquer exercício é necessário de treino, até conseguir “Deixar de Pensar”. Cada pessoa tem o seu próprio caminho, para pessoas é mais fácil do que outras. Inicialmente para algumas pessoas Meditar vai ser extremamente difícil, vendo quase impossível “Libertar o Cérebro” de pensamentos.

Exige disciplina e persistência, contudo com a prática será progressivamente mais fácil e rápido Meditar. Todo o esforço é recompensado, pois cada minuto que Meditar, terá benefícios físicos e Psicológicos, além de todas as experiências e sensações que experienciará durante o processo.

Vale a pena, nem que seja pela sua saúde!

E você, já experimentou a Meditação?

 

Posts Relacionados: Glândula Pineal: Funções Paranormais? ; Descodificando o Segredo: Lei da Atração ou Efeito Pigmaleão? ; Cérebro: Masculino Vs Feminino ; NeuroPsicologia: O Cérebro Humano ; NeuroPsicologia: Linguagem ; 8 Verdades sobre o Cérebro; Hipnose ; Psicologia e Meditação: Um Instrumento Complementar

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Autor: Jorge Elói