No processo de perda de peso e emagrecimento os processos psicológicos são fundamentais, pois sem eles o insucesso é previsível. A fome, o desejo, o impulso, são tudo aspetos psicológicos, que devido ao seu descontrole originam excesso de peso.

A maioria das vezes que excedemos o peso, deriva de fatores psicológicos (Ver Excesso de Peso: Origem Psicológica?). Daí se conseguimos controlar esses processos, conseguiremos emagrecer ou mesmo manter o peso conseguido.

Auto-Motivação – No processo de perda e manutenção de peso, a motivação é imprescindível, e neste caso de preferência ela deve ser intrínseca (Ver Motivação: Extrínseca Vs Intrínseca), evitando a motivação extrínseca. Quando estamos unicamente dependentes da nossa vontade e quando esta é positiva, existe menos risco das coisas correrem mal do que quando dependemos de incentivos externos. Devemos encontrar um motivo ou significado para emagrecer, no nosso interior. Uns emagrecem pela saúde, outros pelo desporto, outros simplesmente porque se sentem melhor consigo. Evite “fixar-se” em fatores externos, como: “se emagrecer as pessoas vou ter mais amigos”, “se emagrecer vou ter mais oportunidades”, “se emagrecer vai ser mais fácil estar na intimidade”. Qualquer um destes “desejos” externos não é garantido quando perder peso, porque qualquer um “desejos” depende da mente e não do corpo, se bem que o corpo influencia a mente, mas nada é garantido.

Defina Objetivos – Defina objetivos se possível com o método smart (Ver  Como Definir Objetivos : Ferramenta SMART). Porque quando “lutamos” para ser magros, estamos a lutar por algo abstrato e ambíguo. Porque “magro” para mim hoje, é diferente de magro para outra pessoa, ou mesmo diferente de “magro” para mim amanhã. É muito importante definir objetivos concretos e mensuráveis, como: “perder 3 kilos”, ou “atingir os 50 kg”.

Estabilidade Emocional – A estabilidade emocional é fundamental ao processo de perda de peso. Este é o principal fator sabotador de todas as dietas, regimes e muitas vezes responsável pelo excesso de peso. Muitas vezes o nosso cérebro confunde as “necessidades”, assumindo necessidade de alimento, quando na verdade é necessidade de amor, apoio, confiança. Devemos saber distinguir quando comemos para saciar necessidades emocionais ou quando comemos realmente por fome. Os impulsos incontroláveis de fome, muitas vezes por alimentos “proibidos “ como chocolates e doces, refere-se essencialmente a instabilidade emocional.

Goste de Si – Não emagreça para gostar de si, porque só gostando de si é consegue emagrecer. Tenha uma perspetiva positiva (Ver Psicologia positiva), não se foque nos seus defeitos, faça o contrário, utilize as suas qualidades a seu favor. Emagrecer, tal como a Felicidade, tem de vir de dentro para fora e não ao contrário. Não se esqueça que para mudar qualquer coisa a nível psicológico em si, deve aceitar-se primeiro, tal como é!

Descobri que sou mais eficaz quando posso ouvir a mim mesmo aceitando-me, e quando posso ser eu mesmo. … Julgo que aprendi isto com meus clientes, bem como através da minha experiência pessoal – não podemos mudar, não podemos afastar do que somos enquanto não aceitarmos profundamente o que somos.Carl Rogers

E você, gostaria de perder peso?

Posts Relacionados: A importância da Psicologia  ; NeuroPsicologia: O Cérebro Humano; Atividade Física: Benefícios Psicológicos ; Síndrome de Pânico: Causas e Implicações ; Medo e Fobia: Diferenças e Semelhanças ; Síndrome Burnout: Causas e Implicações ; Anorexia: Causas e Implicações ; Excesso de Peso: Origem Psicológica?

Siga-nos no Facebook , no Twitter ou no Google+

Autor: Jorge Elói