Tenho tudo para ser Feliz, mas não o sou! Porquê? Continuando o artigo anterior…

É mais comum do que se pensa as pessoas acreditarem que têm tudo o que é necessário para serem felizes, porém não o são! Muitas delas sem perceberem o porquê. Já vimos que esse pensamento pode surgir de um conflito interno, porém não ser só essa a origem.

Como vimos anteriormente, esse pensamento pode ter origem entre o caminho que sinto que devo percorrer e o caminho que percorro. Quando assumimos um valor como mais importante e algum tempo percebemos que esse valor pode não ser assim tão importante, podemos assumir o “novo valor” e enfrentar a rejeição das pessoas que possuem o “antigo valor”, ou continuarmos com o “antigo valor” mesmo que inconscientemente percebemos que existe um “novo valor” que nos identificamos mais!

Outra das origens desse tão comum pensamento, é a “aquisição de uma receita errada”! O que quero dizer com a aquisição de uma receita errada? Ao longo do nosso crescimento vamos aprendendo o que é “necessário para se ser feliz”, de uma forma não tão abrangente como um valor, como no caso anterior, mas mais específica.

De uma forma subtil, quase subliminar, não apenas os nossos educadores, mas toda a sociedade nos incute “receitas de felicidade”. Isto é, a sociedade, os medias, os educadores, vão-nos mostrando implicitamente que só podermos ser felizes se tivermos determinado conjunto de elementos ou se agirmos consoante determinadas normas de acção.

Por outras palavras, tudo à nossa volta comunica constantemente connosco, dizendo-nos que para ser feliz precisamos de: ter dinheiro,ou ser bonito,ou ter um bom carro,ou ter uma casa,ou ter filhos, etc. Como se de uma receita se tratasse!

Nós sem querermos, procuramos, competimos e até lutamos por esses “ingredientes”, com esperança de no final chegar à tão ambicionada felicidade. Porém, a receita não funciona da mesma forma para todas as pessoas. As pessoas são diferentes, logo necessariamente precisarão de coisas diferentes.

Umas até determinada receita pode fazer sentido e “encontram a felicidade”, porém para outros, a mesma receita pode não fazer qualquer sentido. Logo, é possível a pessoa esforçar-se ao máximo, arriscar tudo o que tem por juntar todos os ingredientes necessários, porém quando os junta sente que não é feliz e não percebe porquê, sem perceber que tinha adoptado uma receita que para si não faz sentido.

A pessoa tem todos os ingredientes da receita que lhe venderam, porém não é feliz e dificilmente será com essa mesma receita. Neste caso a pessoa talvez deve ter coragem de se afastar de todas as receitas pré-concebidas e descobrir a sua própria receita. Só assim será possível almejar a felicidade!

Descubra a sua própria “receita”! Percorra o seu próprio caminho! Mas principalmente, não aceite receitas de pessoas que não sabem cozinhar! Arrisque ser o cozinheiro da sua vida! Tal na culinária, seja criativo, experimente novos “ingredientes”, é assim que surgem “pratos” fantásticos!

Continuará…