As nossas crenças, são algo que regem o nossos comportamentos e atitudes. A elas devemos os nossos medos e também as nossas maiores “fontes” de motivação. Contudo, existem crenças tóxicas. Uma das crenças mais tóxica, talvez  mesmo a mais tóxica, é o facto de acreditarmos que não possuímos o valor suficiente, que não somos “bons” o suficiente!

Acreditarmos que algo é verdadeiro, faz de esse facto verdadeiro, pelo menos para a nossa mente. A nossa mente torna as coisas reais, tanto os nossos sonhos, como os nossos medos. Se acreditamos que não somos capazes, irá diminuir a probabilidade de sermos capazes!

As crenças não nascem connosco! São construídas, através da educação implícita ou explícita, socialização, cultura, etc. Podemos inconscientemente adquirir uma crença, assim ficamos sem perceber a sua origem. Muitas das crenças são adquiridas inconscientemente, mesmo nas adquiridas conscientemente, muitas das vezes a origem é esquecida e a crença irá continuar a prevalecer.

Uma das coisas mais importantes, construída essencialmente nos primeiros anos de vida, é o valor pessoal. São os primeiros contactos com as outras pessoas que definem o nosso valor. A nossa construção tem início, no olhar do “outro”. Este “outro” é, na maioria das vezes, as pessoas que nos educam, professores, cuidadores, familiares, principalmente pais!

É importante referir que nenhuma crença é imutável! O nosso sistema de crenças é dinâmico! Sim, existem muitas crenças que para nós são um desafio alterar. Algumas crenças são extremamente difíceis de serem alteradas.  Porém, é possível fazê-lo ! E com essa alteração, alteramo-nos a nós próprios.

Uma das crenças que mais nos influência negativamente, é o facto de acreditarmos que não temos o valor suficiente! Essa crença pode ter várias origens, esta pode ser consequência de uma exigência extrema, pode se dever a um “amor condicional”, ou mesmo a uma percepção de amor que terá sido direcionado para outra pessoa e/ou “objecto”.

Indepentemente da origem da crença, surgem apenas duas respostas possíveis. Ao não chegar a tempo, perante um comboio que acaba de arrancar, uns correm, sprintam, tentando apanhar, enquanto outros simplesmente desistem. O mesmo acontece com o valor interno!  Perante a percepção de que o valor não é o suficiente, uns esforçam-se, indo muitas vezes além dos seus limites, outros contrariamente, desistem.

Essa “resposta” a essa crença instalada, irá contagiar muitas das dimensões da vida do sujeito. A dimensão pessoal, profissional, relacional, etc! Na maiorias das vezes a pessoa “corre atrás do comboio”, tornando-se perfecionista, talvez mesmo, eternamente insatisfeita consigo mesma!

No entanto, nada é definitivo! Todos nós podemos mudar, se estivermos dispostos a isso! O que muitas vezes acontece, é que ao longo da vida, essa crença “formatou” o mundo da pessoa de tal forma que ela é incapaz de percepcionar o prejuízo e impacto da mesma na sua vida e por vezes mesmo, é incapaz de percepcionar a sua existência. É dificil mudar algo que não conseguimos percepcionar.

E você,  acredita que possui “valor suficiente”?

Related Post