Todos nós em algum momento das nossas vidas, tivemos ansiedade! A ansiedade possui vários prejuizos não apenas para a mente, mas também para o corpo. Ela deriva essencialmente das emoções negativas, tal como o medo, manifestando-se de uma variedade de formas diferentes.

Mas o que é a ansiedade?

A Ansiedade é a resposta do organismo a um perigo. Porém esse perigo pode não ser real, pode ser apenas imaginário. Mas como é isso possivel? Como é que a nossa imaginação pode criar em nós ansiedade? Como é que a nossa mente é capaz de provocar mudanças significativas na nossa fisiologia e biologia?

Compreender este processo é muito simples.

Se virmos um leão ficamos ansiosos com medo. Se vimos uma pedra, estamos tranquilos, não existe nenhum medo aparente. Mas se vimos uma pedra, mas acreditarmos/imaginarmos que detrás dessa pedra está um leão, iremos ficar com medo, ansiosos. Assim, é a crença/expectativa da existência do leão detrás da pedra. Contudo, para todos os efeitos, apenas vimos a pedra e ficamos igualmente ansiosos. Logo, a ansiedade é a reação perante um perigo, real ou imaginário!

A ansiedade deve-se a um estado de alerta, perante a percepção (verdadeira ou não) de um perigo eminente. Facilmente é possivel deduzir, que sendo “eminente”, remete para o Futuro. De uma forma simples, a ansiedade deve-se a uma pré-ocupação. O organismo estabele-se o alerta preparando-se para um perigo futuro. Algumas preocupações podem eventualmente serem legitimas, caso exista mesmo o leão detrás da pedra, mas na maioria das vezes é apenas fruto da nossa mente. Mas porquê?

A forma como vemos o futuro, mesmo que conscientemente e racionalmente não queiramos, está relacionada como nos foi mostrado o passado. De certa forma, de forma inconscientemente aprendemos a ser ansiosos.

Se ao longo da vida cada vez que virmos uma pedra, surgir um leão escondido por detrás. Com o decorrer do tempo bastará vermos a pedra para ficarmo ansiosos esperando o leão. Mas e se o que o que nos foi mostrado ao longo da vida não é representativo da totalidade da experiencia? E se o que nos foi mostrado, não for a regra, mas sim a excepção? E se todos os leões detrás da pedra fossem exepções à regra? Provavelmente neste caso, seriamos incapazes de imaginar uma pedra sem um leão detrás, causando-nos um enorme sofrimento e ansiedade.

Será possivel aprender a não ser ansiosos?

Sim. Na prática existem essencialmente dois caminhos possiveis:

1.Perceber que embora ao longo da vida, tenha visto ou lhe tenham mostrado que detrás de uma pedra existe um leão, isso não é regra, é excepção! Perceber que o encontrou no passado foi um conjuntos de cenários “destorcidos”/”enviesados”, longe da realidade!

2.Ganhar recursos e coragem para que perante uma pedra, conseguir contorna-la e perceber se existe ou não leão. Com os continuos “confrontos”, constrói-se uma nova aprendizagem, em que é muito raro encontrar um leão detrás de uma pedra.

Qualquer um dos caminhos, pode ter orientação, ajuda, de amigos, familiares, terapeutas, mas apenas você os pode percorrer! Lembre-se que uma coisa é conhecer o caminho, outra é percorrer o caminho!

E você, qual dos caminhos prefere ou está preparado para caminhar?