Autoestima é atualmente um tema de crescente investigação e popularidade. Visto que esta é fundamental para o bem-estar do ser humano. Assim sendo, é pertinente perguntar-nos o que é a autoestima?

A Autoestima é um conceito central no bem-estar do ser humano. Esta é um construto psicológico essencial nas nossas decisões futuras, contribuindo na forma como olhamos o passado e vivemos o presente.

Autoestima pode ser considerada uma auto-avaliação do seu próprio valor, podendo este ser intrinsecamente positivo ou negativo. Esta envolve crenças autos-significantes de competência vs incompetência, de sucesso vs insucesso, bem como emoções associadas a essas mesmas crenças. A Autoestima constitui parte da personalidade, porém também pode constituir uma condição temporária. Esta pode ser atribuída a uma parte de nós ou atribuída a um nível global.

Desta forma, a autoestima tem consequências diretas e indiretas, em todas as áreas e níveis de vida do ser humano. Influenciando também como este vai “viver” as relações ou mesmo perceber a realidade, bem como os obstáculos e o possível sucesso.

A Autoestima é construída em relação e na interação com outros seres humanos, desde que nascemos. Aliás, existem investigadores que afirmam que esta começa a ser construída mesmo antes de nascer, afirmando começa a ser construída com o desejo (ou não) sobre o nascimento do feto. Embora o feto não perceba intenções e emoções, possivelmente perceberá “hostilidades inconscientes” pelas das substâncias partilhadas. Visto que qualquer emoção tem influência a nível físico e biológico, logo, terá influencia necessariamente sobre o feto.

A Autoestima é a nossa observação, sobre o nosso reflexo nos outros. Isto é, este é construído através da nossa interpretação sobre o feedback dos outros sobre nós mesmos. Se crescemos, num meio de pessoas que nos acham inteligente, competente, com valor. Independentemente da veracidade dessas mesmas opiniões e observações, essas irão ser fundamentais na construção da nossa autoestima. O contrário também ocorre, quando uma criança cresce a ouvir que é incapaz, que não presta, que só atrapalha, possivelmente tudo isto irá ter consequências diretas e indiretas para a sua vida adulta.

Porém como já disse, a autoestima é construída através da nossa interpretação sobre o feedback dos outros, logo, não importa unicamente o feedback, mas também é importante a nossa interpretação sobre o mesmo, a importância que lhe atribuímos, na perspetiva como olharmos, etc. E é nessa pequena diferença que pode dar origem à resiliência (Ver 5 Princípios Funtamentais na Educação para a Resiliência). Visto que tem mais importância a forma como interpretamos a realidade do que a realidade em si mesma.

O constructo de Autoestima, está associado a outros constructos semelhantes como o de Autoconceito, Autoconfiança, Autoaceitação, Autoeficácia, entre outros, igualmente importantes no bem estar e na formação da personalidade do ser humano.

Sendo tão importante a auto estima na formação da nossa personalidade e no nosso bem-estar, é importante estarmos rodeados pelas pessoas certas. O amor ou a amizade, faz de nós uma pessoa melhor, caso isso não aconteça, Desconfie! É importante também tentar ver o lado positivo de tudo o que nos acontece, já que não há forma melhor para nos preparar para um novo caminho, que contornar obstáculos e superar dificuldades.

E você, como está a sua auto-estima?

Posts Relacionados: A importância da Psicologia ; 6 Dicas para Educar com Limites ; Aprendizagem: 3 Regras para uma Estratégia Eficaz ; BIRRAS: 6 Conselhos Úteis ; Bullying: 5 Medidas Essenciais para a sua Prevenção e Controle; Psicologia Educacional ; 5 Princípios Funtamentais na Educação para a Resiliência

Autor: Jorge Elói